Postado em 25 de Setembro às 17h14

27 DE SETEMBRO: DIA NACIONAL DA DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS

Datas Comemorativas (24)Saúde (72)

Data foi estipulada para conscientização do tema

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil possui o maior sistema público de transplantes do mundo, cerca de 95% são financiados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O país vinha em um crescimento gradativo de doações, e embora os números positivos dos últimos anos, em junho de 2019, ainda haviam mais de 40 mil pessoas na lista de espera para doação. Essa é uma perspectiva que pode mudar com o aumento no número de doadores. Por isso, a conversa sobre doação de órgãos precisa estar em pauta no dia a dia, datas como o Setembro Verde e o Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos surgem com este objetivo.

Mas afinal, como acontece o processo de doação? Existem duas formas: em casos de morte encefálica, e as doações feitas em vida. Segundo o médico anestesiologista, Leandro Bernardes - CRM 23358, nos casos de morte encefálica, é feita a identificação e notificação do paciente e então realiza-se um protocolo de exames clínicos e de imagem, a fim de confirmar a condição. Se de fato confirmada a morte cerebral, e houver a possibilidade de a doação acontecer, a família é contatada e iniciam-se os trâmites. Segundo Leandro, a captação dos órgãos é realizada por uma equipe especializada no centro cirúrgico.

Na doação feita em vida, o procedimento é feito entre familiares até o quarto grau de parentesco, e em casos de terceiros é necessária uma autorização judicial. Leandro explica que os riscos da doação estão inerentes à uma anestesia, por este motivo são realizados exames pré-operatórios para diminuir tais perigos. Conforme o médico, a doação entre pessoas vivas é permitida somente se não acarretar em nenhum tipo de problema a saúde do doador.

Após identificado os doadores e realizada a doação, é feito o transporte dos órgãos, o qual conta com um protocolo rígido. “Cada órgão é embalado, identificado e lacrado em caixas próprias para o transporte, pois possuem recomendações específicas, como tempo máximo entre captação e transplante, temperatura a ser mantido, etc. Todo processo é supervisionado por profissionais médicos e enfermeiros”, esclarece Leandro.

De acordo com o médico, a principal dificuldade do transplante é a rejeição, quando as células de defesa interpretam o órgão transplantado como “estranho”, e o atacam, mas há como solucionar. “Existem medicações imunossupressoras que são usadas pelos pacientes transplantados para diminuir a chance dessa complicação. É necessário usar a medicação pelo resto da vida”.

Com tantos recursos e avanços apresentados pela medicina, e se o Brasil tem dado passos largos no que diz respeito aos transplantes, o que falta para diminuir a fila de espera? Para Leandro, cada vez mais está se desmistificando sobre assunto, ele considera que com o passar dos anos a conscientização sobre a doação aumentou, mas ainda assim, uma das principais causas é a negativa da família para abertura do processo de doação. "É necessário empatia, colocar-se no lugar das famílias que aguardam doação de órgão para perceber a importância da doação", conclui o médico.

COVID-19 e o impacto nas doações

A Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), divulgou em agosto um levantamento onde o Brasil apresenta queda de 6,5% no índice de doadores efetivos, se comparado ao primeiro semestre de 2019, e 26,1% em comparação aos dois primeiros trimestres de 2020.

Com a chegada da pandemia, houveram alguns ajustes de funcionários da saúde para auxiliar nos setores de combate à Covid-19. Em alguns casos, os espaços destinados ao setor de doações foram ocupados para atender os pacientes com coronavírus. Todo esse cenário resultou em alterações nas taxas relacionadas a doação de órgãos, e a campanha tornou-se ainda mais necessária. 

  • EkoSaúde - Informação que promove saúde, bem-estar e qualidade de vida -

Veja também

POR QUE SENTIMOS CÃIBRA18/07/19 Parado, caminhando ou até mesmo dormindo. Não existe hora ou lugar para sermos acometidos por cãibras. Causadas pela prática de esportes ou por determinadas atividades profissionais, elas podem se tornar mais intensas nos dias frios, em função da musculatura permanecer mais tensa e contraída. Essa contração dos músculos chega sem aviso e pela sensação de…...
Colágeno, substância vital!01/08/18 O colágeno representa cerca de 25% de toda proteína do organismo humano. Sua função é essencialmente estrutural, afinal proporciona sustentação às células, mantendo-as unidas. A proteína é produzida normalmente no organismo desde o nascimento, mas a partir......
Você sabe como está seu colesterol?01/08/17 Os hábitos alimentares saudáveis fazem muita diferença em nosso dia-a-dia.  Alimentar-se de maneira equilibrada, correta e saudável é uma das premissas para uma vida saudável e um corpo cheio de energia. De acordo com a nutricionista Monique Zanini o baixo......

Voltar para Blog

categorias-noticias