Postado em 17 de Fevereiro às 13h14

Brasil teve aumento no consumo de bebidas alcoólicas

Saúde (79)

Uma taça de vinho ou uma cerveja no almoço de domingo para muitas famílias brasileiras são como uma tradição. Com exceção dos casos onde a bebida alcoólica é consumida com consciência, há casos preocupantes, que desencadeiam um vício. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou no ano passado dados sobre o consumo de álcool, em 2019, 26,4% da população adulta afirmou beber semanalmente, em 2013 a porcentagem era de 23,9.

O resultado é fruto de um estudo realizado pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), em convênio com o Ministério da Saúde, e divulgação do IBGE. Os dados apontam também que o aumento do consumo foi impulsionado pelas brasileiras em fase adulta, 17% afirmaram beber uma vez por semana ou mais em 2019, o que representa 4,1% acima do consumo de 2013. Entre o público adulto masculino, o índice passou de 36,3% para 37,1%.

Quando analisado a faixa etária, a proporção de pessoas que beberam pelo menos uma vez na semana foram adultos entre 25 a 39 anos, com 31,5%. Na sequência, aparecem jovens entre 18 a 24 anos, com 30,4% e a faixa com menor consumo foram idosos de 60 anos ou mais, com 17%.

No comparativo em relação a renda per capita, é possível perceber um padrão, onde quanto maior o rendimento, maior o consumo. Pessoas sem rendimento apresentam um índice de 18,6%, 27,8% para a faixa de até dois salários e 49% para os que recebem mais de cinco salários. A pesquisa mostra também, que cerca de 17% dos motoristas brasileiros dirigem mesmo depois de beber.

Pandemia e o consumo de álcool

Em abril de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) chegou a recomendar a limitação na venda de bebidas alcoólicas durante a quarentena. De acordo com a entidade, o consumo demasiado pode prejudicar a saúde física, mental e reduzir a imunidade. No Brasil, algumas pessoas chegaram a debater sobre a divulgação que havia sendo feita em torno de bebidas alcoólicas em lives.

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), publicou um estudo que confirmou a intensificação do consumo de álcool no período de isolamento. Entre maio e junho de 2020, a Opas entrevistou 12 mil pessoas da América Latina e Caribe, 30,8% dos entrevistados eram brasileiros. De acordo com o resultado, 35% das pessoas que responderam à pesquisa com idade entre 30 e 39 anos, afirmaram ter bebido mais que o de costume, comportamento denominado como: Beber Pesado Episódico (BPE), quando o consumo passa de 750 mililitros de vinho, 1,7 litro de cerveja ou 225 ml de destilado.

 

  • EkoSaúde - Informação que promove saúde, bem-estar e qualidade de vida -

Veja também

Seu coração precisa de um sono tranquilo.28/05/20 Durante o sono nosso metabolismo desacelera para nos proporcionar descanso. O mesmo efeito acontece com o coração, quando o sistema nervoso auxilia no relaxamento do músculo cardíaco. Com isso, os batimentos ficam mais lentos, provocando uma queda temporária nos níveis da pressão arterial. Quando nos privamos desse momento ou dormimos mal, impedimos que o......
Calor, dor de ouvido e o sono11/02/20 Estação mais quente intensifica as dores de ouvido Piscinas ou praias deixam nossos ouvidos expostos as otites externas Ouvimos diariamente falar sobre infecções de ouvido - o termo otite refere-se à......
NOVEMBRO AZUL: tudo começou em um pub06/11/20 Chegou a vez dos homens! No mês passado falamos sobre o câncer de mama, como prevenir e combater a doença. O Novembro Azul vem com o mesmo intuito, alertar sobre a importância do diagnóstico precoce e auxiliar no combate ao......

Voltar para Blog

categorias-noticias