Postado em 18 de Julho de 2018 às 13h14

Entenda a dor crônica

Saúde (77)
Por Márcio Paz Telesca Médico ortopedista e traumatologista cooperado da Unimed Chapecó Todo mundo sente dor de vez em quando. Quando você corta o dedo ou leva uma pancada no esporte, a dor é a maneira do seu corpo de lhe dizer que algo está errado. Uma vez que a ferida cura, deve parar de…

Por Márcio Paz Telesca

Médico ortopedista e traumatologista cooperado da Unimed Chapecó

Todo mundo sente dor de vez em quando. Quando você corta o dedo ou leva uma pancada no esporte, a dor é a maneira do seu corpo de lhe dizer que algo está errado. Uma vez que a ferida cura, deve parar de doer.

A dor crônica é diferente. Seu corpo continua doendo semanas, meses ou mesmo anos após a lesão.  A dor crônica pode ter efeitos reais sobre sua vida cotidiana e sua saúde mental. Mas você e seu médico podem trabalhar juntos para tratá-lo.

O que faz você sentir dor crônica? O sentimento de dor vem de uma série de mensagens que caminham no seu sistema nervoso. A lesão acende sensores de dor naquela área. Eles enviam uma mensagem sob a forma de um sinal elétrico, que viaja de nervo para nervo até atingir seu cérebro. Seu cérebro processa o sinal e envia a mensagem que você machucou. Normalmente, o sinal para quando a causa da dor é resolvida – seu corpo reparou a lesão.

Mas, na dor crônica, os sinais nervosos continuam disparando mesmo depois de curar. Quais as condições causam dor crônica? Às vezes, a dor crônica pode começar sem qualquer causa óbvia. Mas para muitas pessoas, ele começa após uma lesão ou por uma condição de saúde. Algumas das principais causas incluem: lombalgia crônica, fibromialgia, local onde foi feita uma cirurgia, enxaqueca, lesões em nervos.

Uma das formas de identificar a cronificação é a alteração no padrão dessa dor.

Ela normalmente vem acompanhada de outras condições: sono perturbado, alterações

de humor e de apetite. O que traz importantes reflexos na vida pessoal: trabalho, relações familiares, etc.

Isso cria um ciclo, exemplo: ao se magoar é mais provável que você se sinta deprimido e sua dor piore, ao piorar a dor, você dormirá mal e no outro dia a fadiga muscular causará mais dor.

Existem diversas medicações e modalidades de tratamento que podem a ajudá-lo a quebrar esse ciclo e melhorar a sua qualidade de vida.

Embora seja uma condição de atendimento multidisciplinar, caberá ao seu médico saber orientá-lo quanto ao momento certo de mudar terapias ou medicações e uma continuidade de tratamento é imprescindível para que se possa estabilizar a condição.

Veja também

27 DE SETEMBRO: DIA NACIONAL DA DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS25/09/20Data foi estipulada para conscientização do tema Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil possui o maior sistema público de transplantes do mundo, cerca de 95% são financiados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O país vinha em um crescimento gradativo de doações, e embora os números positivos dos últimos anos, em junho de 2019, ainda haviam mais de 40 mil pessoas na lista de espera para......
Cuidados com ronco e apneia18/10/18 O ronco e a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) são temas muito discutidos no Brasil e no mundo. Além dos transtornos sociais e psicológicos, podem trazer consequências físicas para o paciente, como hipertensão, arritmias cardíacas e AVCs. A apneia......
ATENÇÃO PLENA: prática mindfulness pode elevar a qualidade de vida09/12/20 Se aproxima a hora de dormir e a ansiedade chega junto. A Eko'7 realizou recentemente uma pesquisa com cerca de 250 pessoas, 46,1% delas responderam que a ansiedade é o problema que mais afeta o seu sono, na sequência aparecem as dores, com......

Voltar para Blog

categorias-noticias